Pesquise

Carregando...

terça-feira, agosto 30, 2016

Paulo Rocha clama aos "velhos companheiros" do PSDB, DEM e PMDB para não romperem com a democracia


Por Diógenes Brandão

Em seu pronunciamento que durou seis (06) minutos, o último parlamentar a falar na sessão destinada a ouvir Dilma Rousseff, em sua defesa no processo do impeachment no Congresso Nacional, nesta segunda-feira (29), o senador Paulo Rocha (PT-PA) defendeu a manutenção do processo democrático e a permanência da presidenta no cargo, para o qual foi eleita pela maioria da população brasileira, nas eleições de 2014.

O senador paraense disse ainda que os governos petistas favoreceram a inclusão social e levaram melhorias ao Pará, onde diversas localidades do estado ainda não contavam sequer com luz elétrica, a exemplo da cidade de Cachoeira do Arari, na Ilha do Marajó, onde disse conhecer uma senhora de 115 anos, que sonhava ter uma geladeira para tomar água gelada. Segundo o senador, só depois da chegada do "Programa Luz para Todos", foi possível ter energia elétrica para seu povo.

Com alguns lapsos em seu pronunciamento, Paulo Rocha admitiu que só tem o segundo grau, o que teria sido fruto da falta de escolas de ensino médio em sua cidade natal e nos governos de Dilma e Lula foram criadas mais três universidades no Pará, o que favoreceu o acesso à educação do filho do pobre e do filho do negro.

Paulo Rocha é fundador da CUT e do PT no Pará e foi eleito deputado federal por cinco (05) mandatos. Em 2005, renunciou seu mandato para defender-se da acusação de envolvimento no processo do "mensalão". Após oito (08) anos sem mandato, Paulo Rocha foi eleito senador pelo estado do Pará em 2016.

No final do seu pronunciamento no senado, Paulo Rocha clamou aos "velhos companheiros" do PMDB, do DEM e do PSDB para que não rompam com o“estado democrático, que tanto custou ao país”, concluiu.

Assista:


Lula manda um recado para Belém do Pará

Em vídeo gravado no Instituto Lula, o ex-presidente fala das dificuldades que o Brasil enfrenta e alerta a população de Belém para que nestas eleições municipais, o povo saiba escolher quem vai cuidar melhor das cidades e daqueles que mais precisam. Lula finaliza pedindo o voto em Regina Barata para prefeita de Belém.

Assista:



domingo, agosto 28, 2016

Interação nas redes sociais é mais importante do que TV, afirma cientista político

Com menos tempo na televisão, a propaganda eleitoral gratuita começou sem novidades e repetindo o tom de campanhas anteriores. "Esta será a eleição das redes sociais, que certamente vão desbancar a TV, diz o cientista político Luiz Feitosa. (Foto: Celso Rodrigues).

Por Leidemar Oliveira, no jornal Diário do Pará


O primeiro dia de propaganda eleitoral gratuita no rádio e na televisão não teve muitas novidades em relação aos anos anteriores. A avaliação é do cientista político Luiz Feitosa. Para ele, como já era previsto, a maioria dos candidatos usou o tempo para se apresentar ao eleitor, enquanto o atual gestor municipal optou em prestar contas do primeiro mandato. Apenas um candidato chamou a população para o debate político e outro apresentou propostas.

“O primeiro dia foi de mais apresentações e menos propostas. A tendência é que o conteúdo programático mais forte venha para os próximos dias”, diz Luiz Feitosa. Além de ter o tempo reduzido de 30 para dez minutos, a propaganda eleitoral deste ano tem o desafio de concorrer com a internet. “Esta será a eleição das redes sociais, que certamente vão desbancar a TV. Vai ser muito mais cômodo para o eleitor acompanhar a tudo pelo celular”, afirma Luiz Feitosa.

INTERATIVIDADE

Além disso, na internet, o eleitor tem a opção de interagir, de discordar e sugerir propostas diariamente e de forma instantânea. A mudança vai exigir do candidato carisma e conteúdo para defender a candidatura e prestar contas das ações o tempo todo. A dica do especialista é contratar um webmaster, profissional responsável pelo planejamento e alimentação do conteúdo para a internet. 

Mulheres e jovens são a maioria dos eleitores e são também os que mais acessam a rede, por isso os candidatos devem dar mais atenção para esses dois segmentos. A professora Gorett Ferreira, 49, diz que vai acompanhar tudo pelo celular. “Na TV, todos falam a mesma coisa, sem nenhum atrativo. Prefiro ver nas redes sociais e pelo celular, pois posso acompanhar a qualquer momento do dia”, justifica.

sexta-feira, agosto 19, 2016

Investigações da PF concluem que Lula nunca foi dono do tripex do Guarujá. Barões da mídia podem ter envolvimento


No UOL, com a manchete editada, já que escondeu que a mentira espalhada há meses pela mídia brasileira, finalmente foi desmascarada. Lula sempre disse que o apartamento que era atribuído como sendo de sua propriedade, não era dele. Empresa suspeita de reunir investimentos de 14 donos de veículos de comunicação no Brasil, o famoso Panamá Pepers está envolvida com a verdadeira proprietária do imóvel. Ou seja, os ladrões estavam distraindo a vítima, dizendo: pega ladrão!

A Polícia Federal entregou à Justiça na 6ª feira (12.ago) o relatório final sobre a fase Triplo X da Lava Jato, deflagrada em 27.jan.2016. Foram indiciados a publicitária Nelci Warken (que admitiu ser a verdadeira dona de um tríplex no Condomínio Solaris, no Guarujá) e funcionários da Mossack Fonseca no Brasil.

As informações são do repórter do UOL André Shalders.

O relatório final da PF foi tornado público pelo juiz Sérgio Moro no final da tarde de hoje (18.ago). Leia a íntegra aqui.

Além de Nelci, são arroladas Maria Mercedes Riaño (chefe do escritório da Mossack no Brasil), Luis Fernando Hernandez, Rodrigo Andrés Cuesta Hernandez, Ricardo Honório Neto e Renata Pereira Britto, que trabalhavam para a Mossack. Também é indiciado o empresário Ademir Auada, que intermediava negócios para a Mossack.

O ex-presidente Lula e seus familiares não foram indiciados. A real propriedade do apartamento do Guarujá, porém, é apurada em uma investigação à parte. A defesa do ex-presidente pediu a Sérgio Moro acesso à essa apuração na tarde de hoje (18.ago). Ainda não há decisão.

A Mossack Fonseca se tornou conhecida no Brasil após a divulgação da série jornalística Panama Papers, em abril deste ano. A série baseou-se em um acervo de 11,5 milhões de documentos internos da Mossack, obtido pelo jornal alemão “Süddeutsche Zeitung'' e compartilhado com o Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos (ICIJ). No Brasil, participaram da apuração o UOL, o jornal “O Estado de S. Paulo'' e a “RedeTV!''.

“ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA TRANSNACIONAL”

No documento de cinco páginas, a PF descreve a Mossack Fonseca como uma “organização criminosa de caráter transnacional, estruturalmente ordenada e caracterizada pela divisão de tarefas, voltada para a prática do crime de lavagem de dinheiro”.

“As diligências efetuadas revelaram que a atividade principal da Mossack guardava relação com a abertura de empresas offshore, de forma a ocultar seus verdadeiros sócios e responsáveis. Nesse sentido, todos os que trabalhavam na empresa tinham plena ciência de que atuavam em um mercado voltado à demanda do trânsito de valores e bens de origem suspeita e duvidosa. Por tal motivo, foram indiciados como incursos no art. 1, par. 2º, inciso II da Lei 9.613/98”, diz outro trecho do relatório. A lei mencionada é a que trata de lavagem de dinheiro.

PANAMA PAPERS

A investigação jornalística dos Panama Papers é citada em vários momentos nos relatórios produzidos pela Polícia Federal. Em alguns trechos, os peritos da Polícia utilizaram-se de reportagens para analisar documentos apreendidos na sede da Mossack Fonseca e na casa das pessoas que foram alvo da fase Triplo X.








quinta-feira, agosto 18, 2016

OAB-PA censura grupo de carimbó em evento na sua sede

Grupo que apresentaria músicas de Mestre Verequete e outros representantes da cultura popular paraense, foi censurado em evento promovido na sede da OAB-PA. Dia 26 deste mês é celebrado o Dia Municipal do Carimbó e o centenário de nascimento de Verequete. 


Por Eliana Bogéa*

Ao agradecer acolhida da OAB PA na pessoa de seu vice-presidente Jader Khawage no evento de 10 de agosto último, ao sediar o I Encontro de Advogadas/Advogados Contra o Golpe, não poderia silenciar sobre a proibição do carimbó tocar na casa naquela ocasião. 

No dia 10 mesmo, a coordenação do evento me pediu para tentarmos um grupo de carimbó que tocasse ao final quando do lançamento do livro "A Classe Trabalhadora e a Resistência ao Golpe de 2016". Através do Luizinho Lins, fechamos participação do carimbó de Icoaraci.

No contato com a OAB PA para tratar sobre a participação do carimbó em nossa programação, a despeito de toda sorte de dificuldade de ordem técnica apresentada, ao final conseguimos “mas se vocês quiserem e se responsabilizam”. Dificuldades técnicas para o carimbó?! Não arriscaria uma resposta. 

Tudo confirmado, fui me organizar para ir a Belém para o evento. Ao sair de casa, vi ligações e mensagens de voz de coordenadores. Retornei, quando soube que existia uma ordem que proibia o carimbó de tocar na sede da OAB PA com recomendações de que não insistíssemos a respeito. Afinal, como contrariar os donos da casa à uma hora de começar o evento?!

O carimbó não está à altura de entrar e tocar na sede da OAB PA?! E o que é essa proibição senão um golpe num evento contra o golpe ao hierarquizar culturas, comportamentos, expressões artísticas, pessoas?! Não é essa nossa luta de todo dia?!

Costumo dizer que carimbó é sinônimo de generosidade e foi assim que Luizinho Lins recebeu o golpe. Mais do que isso, contemporizava sobre a importância do evento para nossa causa comum, contra o golpe e pela democracia. 

Mas o golpe contra o carimbó é um golpe contra a democracia. Não acredito no maior e no menor, no mais e no menos. Eu acredito no carimbó! E com o carimbó, acredito na diversidade daS culturaS brasileiraS! E com o carimbó, acredito no Brasil que esse golpe sórdido e perverso quer tanto apagar!

#ForaTemer #ForaGolpistas #VoltaDilma #VoltaDemocracia



*Eliana Bogéa é advogada, professora e ativista do Movimento dos Advogados Paraenses em Defesa da Democracia e pela Legalidade e da Frente Brasil de Juristas pela Democracia.


sábado, agosto 06, 2016

O Liberal: Temer é vaiado e jornal fala de vira-lata



Editorial do jornal O Liberal deste sábado fala de vira-lata, mas não diz se está se referindo a Temer ou algum membro do seu governo "biônico".

Leia abaixo:

Nem vira-latas, nem ufanistas. Sejamos apenas realistas.

Os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, inaugurados oficialmente ontem, têm servido para o bem e para o mal.

Para o bem, toma-se a Rio 2016 com uma vitrine para exibir o País no que ele tem de melhor - e cada um escolha o que o Brasil tem de melhor.

Para o mal, toma-se a Rio 2016 como uma vitrine para mostrar ao mundo um País que teria atingido o auge de seu pior.

Para o bem, a Rio 2016 é o Brasil da concórdia, da inventividade, do povo acolhedor, da diversidade cultural e de instituições democráticas consolidadas - e tanto é assim que uma presidente provisoriamente afastada está na iminência de perder o cargo em decorrência de um processo de impeachment que tramita no Senado.

Para o mal, a Rio 2016 mostra o Brasil da violência, da impontualidade, da falta de planejamento, do improviso, da crise econômica, de preconceitos maldisfarçados e do golpismo contra os eleitos democraticamente.

Nem vira-latas, nem ufanistas. Sejamos apenas realistas.

Nos anos 1950, Nelson Rodrigues, o jornalista, dramaturgo e cronista a que poucos podem ser comparados, escreveu uma crônica a que deu o título de “Complexo de vira-latas”.

Em um dos trechos, lê-se: “A pura, a santa verdade é a seguinte: - qualquer jogador brasileiro, quando se desamarra de suas inibições e se põe em estado de graça, é algo de único em matéria de fantasia, de improvisação, de invenção. Em suma: - temos dons em excesso. E só uma coisa nos atrapalha e, por vezes, invalida as nossas qualidades. Quero aludir ao que eu poderia chamar de ‘complexo de vira-latas’. Estou a imaginar o espanto do leitor: - ‘O que vem a ser isso?’ Eu explico.”

Explicou Nelson: “Por ‘complexo de vira-latas’ entendo eu a inferioridade em que o brasileiro se coloca, voluntariamente, em face do resto do mundo. Isto em todos os setores e, sobretudo, no futebol.” Pronto. Estava criada a vira-latice, ou o vira-latismo, como preferia o próprio Nelson.

Os que tomam a Rio 2016 pelo mal parecem inebriados pela oportunidade de pintar o Brasil como uma espécie de primus inter pares entre os piores.

Em contraponto, o ufanismo se mostra também inebriado e já contabiliza os feitos que colocarão a Rio 2016 como a única, a maior, insuperável e mais espetacular Olimpíadas de todos os tempos.

Esses extremos revelam apenas um País que, nos últimos tempos, parece não conseguir encontrar meio-termo para as coisas. E isso é péssimo.

Até porque a Rio 2016 - apenas e tão somente ela - não tornará o Brasil nem melhor, nem pior. Apenas reforçará algumas de nossas qualidades e, inevitavelmente, alguns de nossos defeitos. Apenas isso.

sexta-feira, agosto 05, 2016

DIAP aponta os 150 mais influentes do Congresso Nacional.

Diap divulga a lista dos “Cabeças” do Congresso Nacional e dos Parlamentares em “Ascensão”. 

Por Diógenes Brandão, com informações do DIAP.

14 deputados e 4 senadores estão entre os 18 principais “cabeças”, mas a lista vai até 100 nomes e até 150, com os mais influentes.

São “Cabeças”, portanto, aqueles operadores-chave do Poder Legislativo cujas preferências, iniciativas, decisões ou vetos – implementados, por meio dos métodos da persuasão, da negociação, da indução ou da não-decisão – prevalecem no processo decisório na Câmara ou no Senado Federal.

OS PARTIDOS MAIS INFLUENTES

Entre os 100 parlamentares que comandam o processo decisório no Congresso, 62 são deputados e 38 são senadores. Os dois partidos com maior número de parlamentares na elite são o PT, atual oposição, ao qual é filiada a presidente da República afastada, Dilma Rousseff, e o PMDB, atual base, partido do presidente interino da República, Michel Temer, e do Senado, Renan Calheiros (AL). 

Está na terceira posição o PSDB, que é o segundo maior partido da base do governo. O primeiro em número de bancada parlamentar na Câmara dos Deputados, o PMDB, é o segundo em influência na elite. E o PMDB além de segundo em influência na Câmara dos Deputados possui a maior bancada de parlamentares do Senado Federal.

CLASSIFICAÇÃO DOS “CABEÇAS”

Para facilitar a leitura, o DIAP identificou e classificou os parlamentares em cinco categorias, de acordo com as habilidades de cada um, dando destaque à característica principal de cada operador-chave do processo legislativo. As categorias são: a) debatedores, b) articuladores/organizadores; c) formuladores; d) negociadores; e, e) formadores de opinião. As classificações não são excludentes. Assim, um parlamentar pode, além de sua habilidade principal, possuir outras secundárias. 

De acordo com essa classificação, os “Cabeças” 2016 possuem 39 parlamentares debatedores, 28 articuladores/organizadores, 16 negociadores, 15 formuladores e dois formadores de opinião. 

CINCO PARAENSES ESTÃO NA LISTA

No Pará, o senador tucano Flexa Ribeiro figura na lista dos principais “cabeças”, onde é considerado um articulador. O senador petista Paulo Rocha está entre os 100 "cabeças", como um negociador.

Os senadores Flecha Ribeiro e Paulo Rocha, além dos deputados federais Edmilson Rodrigues e Arnaldo Jordy estão entre os 150 mais influentes do Congresso Nacional. 

Dos 17 deputados federais do Pará, só Arnaldo Jordy (PPS), Edmilson Rodrigues (PSOL) e Simone Morgado (PMDB) ficaram entre os 150 parlamentares em “Ascensão”.

Entende-se por parlamentar em “ascensão” aquele deputado ou senador que vem recebendo missões partidárias, políticas ou institucionais e se desincumbindo bem delas. Estão também nessa categoria os parlamentares que têm buscado abrir canais de interlocução, criando seus próprios espaços e se credenciando para o exercício de lideranças formais ou informais no âmbito do Parlamento. Integram esse grupo, ainda, os deputados ou senadores que já fizeram parte dos “Cabeças” mas, por razões circunstanciais, perderam interlocução. Estão, portanto, entre os 150 mais influentes do Congresso. 

"CABEÇAS" NA LAVA JATO

Em face das investigações em curso na operação “Laja Jato”, e considerando que alguns dos influentes poderão ser denunciados pelo Ministério Público, cabe esclarecer que na definição da lista não são considerados critérios éticos-morais. 41 Assim, o fato de ser influente não significa, necessariamente, que utilize sua influência apenas para o bem. 

Deste modo, embora a maioria absoluta seja formada por parlamentares corretos e honestos, verdadeiramente preocupados com o interesse público e que pautam suas atuações por princípios republicanos, há exceções e entre estas existem alguns que não seguem necessariamente esses princípios, a julgar pelas investigações a cargo do Ministério Público. 

Um diagnóstico comum aos que fogem à regra de respeito aos princípios éticos, sendo ou não influente, está relacionado com a prática de captação ilegal de recursos financeiros, seja para financiar ou cobrir despesas de campanha, seja para o enriquecimento ilícito. Os custos de campanha, em grande medida, têm sido utilizados como pretexto para esses desvios de conduta. 

O CABEÇA DOS CABEÇAS

Dos 100 parlamentares da 1ª edição da série os “Cabeças” do Congresso, em 1994, apenas um senador se manteve na lista em todos os 23 anos da publicação, demonstrando grande prestígio, influência e capacidade de articulação. Trata-se do senador Paulo Paim (PT-RS), que faz parte da lista tanto como deputado quanto como senador. Além de excelente trânsito entre seus pares, Paim, como é carinhosamente chamado pelos demais parlamentares, reúne habilidades que o credenciou a exercer influência por mais de duas décadas consecutivas no Congresso Nacional. 

Veja aqui a íntegra dos Cabeças do Congresso Nacional de 2016.

quarta-feira, agosto 03, 2016

Pesquisa aponta Tião Miranda na liderança em Marabá


Via DOXA Pesquisas

Primeira pesquisa Eleitoral da DOXA registrada no T.R.E sob o nº PA-09088/2016 para a Prefeitura de Marabá, mostra o deputado estadual e ex-prefeito Tião Miranda liderando a corrida eleitoral.


A Doxa realizou a pesquisa entre os dias 27/07 a 30/07/2016 com uma amostra de 500 entrevistas.
ESPONTÂNEA: Na questão espontânea, onde não são apresentados os nomes dos pré-candidatos, Tião Miranda aparece em primeiro lugar com 31,1% das intenções de voto. 

O segundo colocado é João Salame, aparecendo com 6,7%. O médico Manoel Veloso é o terceiro colocado com 4,7%; Jorge Bichara vem com 3,0%. O ex-deputado federal Asdrúbal Bentes aparece com 1,8%. Maurino está com 1%. Cristina Mutran e Zeferino Neto aparecem, ambos, com 0,8%. Adailton Sá está com 0,6%. Sueli Lara e João Chamon aparecem com 0,4%. Rigier Aragão ficou com 0,2%. O índice de eleitores que não sabem ou que pretendem anular o voto é alto, chegando a 48,4%.

ESTIMULADA: Quando se estimula, isto é, são apresentados aos entrevistados os nomes dos candidatos, Tião Miranda permanece em primeiro lugar, subindo para 41,2%. Manoel Veloso vem em segundo lugar com 10,2%; João Salame é o terceiro colocado com 7,2%. Jorge Bichara é ocupa o quarto lugar com 6,2% das intenções de voto. O deputado estadual João Chamon aparece com 3,5%. Asdrúbal Bentes, 3,1%. Sueli Lara, 2,5%; Cristina Mutran, 2,4%; Adailton Sá, 2,4%; Zeferino Neto, 1,8%; Toni Cunha, 0,8%; Césa do Comércio, 0,8%; e Rigier Aragão, 0,4%.
Os votos flutuantes (branco, nulo e indecisos) somam 17,5%.

REJEIÇÃO: Quanto à rejeição, isto é, quem não votaria se a eleição fosse hoje para prefeito de Marabá, João Salame é o mais rejeitado, aparecendo com 59,9%. Depois vem César do Comércio, 5,6%, seguido por João Chamon, 4,1%. Tião Miranda aparece com 2,5% de rejeição; Asdrúbal, 1,9%; Cristina Mutran, 1,9%; Sueli Lara, 1,8%. Os demais aparecem com índices abaixos de 1%.

INTENÇÃO DE VOTO PARA PREFEITO DE MARABA (ESPONTÂNEA)

Se a eleição fosse hoje, em quem você votaria para prefeito de MARABÁ? (Espontânea)


INTENÇÃO DE VOTO PARA PREFEITO DE MARABA (ESTIMULADA)

E se estivessem disputando os seguintes candidatos, em quem você votaria? (Estimulada)


REJEIÇÃO DE CANDIDATOS(ESTIMULADA)

Qual destes candidatos você não votaria de jeito nenhum? (Estimulada)


AVALIAÇÃO GOVERNO SALAME

Qual a avaliação que você faz da administração do prefeito salame?


AVALIAÇÃO GOVERNO JATENE

Qual a avaliação que você faz da administração do Governador Simão Jatene? 



AVALIAÇÃO GOVERNO TEMER

Qual a avaliação que você faz da administração do Governo Temer?



NÍVEL DE SATISFAÇÃO COM A VIDA QUE LEVA EM MARABÁ

Você está satisfeito com a vida que leva aqui em Marabá?



FICHA TÉCNICA DA PESQUISA

Nível de Confiança: O nível de confiança utilizado é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% dos resultados retratarem o atual momento eleitoral. Registro Eleitoral: registrada no Tribunal Regional Eleitoral do Pará sob o protocolo Nº PA-09088/2016
Estatístico responsável: Luiz Carlos Ferreira Feitosa – CONRE 9477

DADOS DA PESQUISA

Nome da pesquisa: Contexto eleitoral em MARABA-Pa
Margem de erro: A margem de erro estimada é de 4 pontos percentuais para mais ou para menos sobre os resultados encontrados no total da amostra. 
Tema: Administração Pública/Eleições/Opinião Pública.
Período: 27/07/2016 A 30/07/2016
Local: MARABÁ - PA

Amostra: Foram entrevistados 500 eleitores.


SERVIÇO

Candidatos, partidos e demais interessados em obter os dados e as informações completas sobre a pesquisa Doxa em Marabá, assim como a apresentação oral do relatório analítico, entre em contato com os seguintes números:  

(91) 3038-4808 (FIXO)
(91) 98174-5995 (TIM e Zap)
(91) 98480-4191 (CLARO e Zap)

terça-feira, agosto 02, 2016

Edmilson Rodrigues (PSOL) e Eder Mauro (PSD) lideram pesquisa em Belém



Via DOXA Pesquisas

Segunda pesquisa Eleitoral da DOXA registrada no T.R.E sob o nº PA-08502/2016 para a Prefeitura de Belém, mostra uma disputa entre os dois deputados federais Eder Mauro (PSD) e Edmilson Rodrigues (PSOL). A Doxa realizou a pesquisa entre os dias 26/07 a 28/07/2016 com uma amostra de 777 entrevistas.

ESPONTÂNEA: Na questão espontânea, onde não são apresentados os nomes dos pré-candidatos, Edmilson Rodrigues (PSOL) aparece em primeiro lugar com 20,5%, seguido pelo atual prefeito, Zenaldo Coutinho (PSDB), 11,2%. O terceiro colocado é o deputado federal Eder Mauro (PSD),
8,5%. Arnaldo Jordy (PPS), 2,5%; Ursula Vidal (Rede), 1,1%; Lélio Costa (PCdo B), 0,5%; Maneschy (PMDB), 0,3%. O índice de eleitores que não sabem ou que pretendem anular o voto é alto, chegando a 51,8%.

ESTIMULADA: Quando se estimula, isto é, são apresentados aos entrevistados os nomes dos candidatos, Edmilson Rodrigues permanece em primeiro lugar, subindo para 33,5%. Na primeira pesquisa DOXA, Edmilson aparecia com 24,7%. O deputado federal Eder Mauro vai para o segundo
lugar, aparecendo com 27,1%. Na primeira pesquisa, Eder Mauro tinha 30,2% das intenções voto. Em terceiro lugar fica Zenaldo Coutinho com 12,7%. Na pesquisa anterior, Zenaldo tinha 6,9% das menções.

Arnaldo Jordy obtém 6,0%; Ursula Vidal 4,3%; Carlos Maneschy, 1,4%; Lélio Costa, 0,8%; Regina Barata, 0,8%. Os votos flutuantes ( branco, nulo e indecisos) somam 14,9%.

REJEIÇÃO: Quanto à rejeição, isto é, quem não votaria se a eleição fosse hoje para prefeito de Belém, o atual gestor, Zenaldo Coutinho é o mais rejeitado, aparecendo com 37,5%. Depois vem Edmilson Rodrigues com 12,1%, seguido de Eder Mauro, 10,0%. Arnaldo Jordy aparece com 7,1% de rejeição; Lélio Costa, 4,0%; Maneschy, 3,7%; Regina Barata, 2,9% e Ursula Vidal, 2,6%.

AVALIAÇÃO GOVERNO ZENALDO: A administração do prefeito Zenaldo Coutinho está sendo reprovado por 51,4% dos eleitores de Belém. A aprovação é de apenas 12,0%. A avaliação Regular chega a 35,7%.

AVALIAÇÃO DO GOVERNO JATENE: O governo Jatene, em Belém, está sendo reprovado por 43,9% dos eleitores. A aprovação é de 13,6%. A avaliação Regular é de 41,2%.

AVALIAÇÃO DO GOVERNO TEMER: O governo Temer é reprovado por 39,4%. A aprovação é de apenas 7,0%. A avaliação Regular é de 34,4%.

PROBLEMAS DE BELÉM: Os seis maiores problemas que estão afligindo a população de Belém, em primeiro lugar aparece “Violência/insegurança”, depois “descaso com a saúde”, “trânsito/mobilidade”, “desemprego”, “educação”, “saneamento “.

INTENÇÃO DE VOTO PARA GOVERNADOR: Apesar da distância do pleito para governador, a DOXA testou seis nomes numa possível disputa para o governo do Estado. Edmilson Rodrigues aparece em primeiro lugar com 26,2%, seguido por Eder Mauro, 20,2%. Helder Barbalho vem em terceiro lugar com 12,9% das intenções e voto. Paulo Rocha e Flexa Ribeiro aparecem empatados, ambos com 5,1%; Márcio Miranda vem com 2,6%.

NÍVEL DE SATISFAÇÃO: 46,7% dos eleitores de Belém estão insatisfeitos com a vida que levam na cidade. A satisfação é de 20,0%. A satisfação Regular chega ao patamar de 31,9%.


INTENÇÃO DE VOTO PARA PREFEITO DE BELÉM (ESPONTÂNEA)

Se a eleição fosse hoje, em quem você votaria para prefeito de Belém? (Espontânea)


INTENÇÃO DE VOTO PARA PREFEITO DE BELÉM (ESTIMULADA)

E se estivessem disputando os seguintes candidatos, em quem você votaria? (Estimulada)


REJEIÇÃO DE CANDIDATOS(ESTIMULADA)

Qual destes candidatos você não votaria de jeito nenhum? (Estimulada)


AVALIAÇÃO GOVERNO ZENALDO COUTINHO

Qual a avaliação que você faz da administração do prefeito Zenaldo Coutinho?


AVALIAÇÃO GOVERNO JATENE

Qual a avaliação que você faz da administração do Governador Simão Jatene?


AVALIAÇÃO GOVERNO TEMER

Qual a avaliação que você faz da administração do Governo Temer? 



PRINCIPAIS PROBLEMAS DE BELÉM

Qual é o maior problema em Belém, que mais dificulta sua vida?


INTENÇÃO DE VOTO PARA GOVERNADOR (ESTIMULADA)

Se a eleição fosse hoje, em quem você votaria para Governador do Pará? (ESTIMULADA)


NÍVEL DE SATISFAÇÃO COM A VIDA QUE LEVA EM BELÉM

Você está satisfeito com a vida que leva aqui em Belém?


FICHA TÉCNICA DA PESQUISA

Nível de Confiança: O nível de confiança utilizado é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% dos resultados retratarem o atual momento eleitoral.
Registro Eleitoral: registrada no Tribunal Regional Eleitoral do Pará sob o protocolo Nº PA-08502/2016.
Estatístico responsável: Luiz Carlos Ferreira Feitosa – CONRE 9477

DADOS DA PESQUISA

Nome da pesquisa: Contexto eleitoral em Belém-Pa
Margem de erro: A margem de erro estimada é de 4 pontos percentuais para mais ou para menos sobre os resultados encontrados no total da amostra. 
Tema: Administração Pública/Eleições/Opinião Pública.
Período: 26/07/2016 A 28/07/2016
Local: Belém - PA
Amostra: Foram entrevistados 777 eleitores.

SERVIÇO

Candidatos, partidos e demais interessados em obter os dados e as informações completas sobre a pesquisa assim como a apresentação oral do relatório analítico, entre em contato com os seguintes números:  

(91) 3038-4808 (FIXO)
(91) 98174-5995 (TIM e Zap)
(91) 98480-4191 (CLARO e Zap)




sexta-feira, julho 29, 2016

Lula lembra das políticas públicas do PT, detona o golpe e declara apoio à Regina Barata

Em vídeo, o ex-presidente Lula diz que gostaria de estar em Belém para apoiar a pré-candidata e os pré-candidatos a vereadores do PT, nas eleições municipais que se aproximam.

Lula lembra que as gestões petistas fizeram muitas coisas boas, tanto nos municípios, quanto nos estados e no país, citando que as políticas públicas dos governos do PT priorizaram os que mais precisam e isso ajudou a desenvolver o o Brasil, atingindo toda a sociedade.

"O Brasil se desenvolveu com inclusão e justiça social. Infelizmente, forças políticas conservadoras resolveram cometer um ato de ilegalidade, passando por cima da constituição, ferindo a democracia, tentando votar o impeachment da presidenta Dilma. Hoje, mais uma vez, temos que estar juntos com os trabalhadores e os movimentos sociais para preservar a democracia, as conquistas e renovar as nossas esperanças", diz Lula e deseja sorte à Regina e toda a militância que estará com ela em Belém para elegê-la prefeita da cidade em Outubro.


quinta-feira, julho 28, 2016

Você é contra ou a favor do Escola sem Partido?



O Diário do Pará On Line realiza uma enquete para saber a opinião dos internautas sobre o projeto Escola Sem Partido. Simplista, a enquete não aprofunda o debate, mas apura uma impressão dos leitores.

PSOL quer aliança com PPS (do golpe) e rejeita PT

PSOL pede autorização ao comando nacional para coligar com o PPS, já que resolução nacional do partido de Edmilson Rodrigues o impede de fazer alianças com partidos que votaram pelo impeachment de Dilma Rousseff, como fez Arnaldo Jordy, o cacique do PPS no Pará.

Resolução aprovada pela executiva municipal do PSOL, na tarde desta quarta-feira (27), em Belém, revela o leque de alianças que o partido pretende ter para a disputa eleitoral de 2016. Liderando as pesquisas, Edmilson precisa de tempo de TV para tentar evitar mais uma derrota eleitoral em Belém, já que perdeu as eleições passadas, após dizer que estava confiante de que seria novamente prefeito de Belém. No entanto, o pragmatismo eleitoral em Belém vai levando o partido do Socialismo e Liberdade para a desobediência ao que determina a direção nacional. A troco do quê? Pergunta uma dirigente que prefere não se identificar.

Por Diógenes Brandão

Liderando as pesquisas ao lado do deputado federal Eder Mauro (PSD), o também deputado federal Edmilson Rodrigues (PSOL), tem dito em reuniões com partidos e lideranças políticas, que não aceita a aliança com seu ex-partido, o PT. Inclusive já disse e repetiu isso para interlocutores do próprio PT, que ainda o buscavam para uma tentativa de aliança eleitoral em Belém, já que a resolução nacional do PSOL permitia.

Mas não.

Edmilson e seus companheiros de partido se negaram pela última e definitiva vez a possibilidade de tentarem uma coligação com o PT e decidiram formar aliança apenas com o PDT, PV, PPL, PCdoB e Rede.

"Até aí tudo bem", diria um velho amigo comunista, mas porque pediram autorização para coligar com um partido de direita (PPS), tal como cita e proíbe a resolução política nacional, aprovada em junho deste ano e que define as diretrizes para a política de alianças para as eleições 2016?

Leia o que diz as diretrizes da resolução publicada no site oficial do PSOL.


Clique aqui ou na imagem acima para ler a resolução completa.

O que fez o Diretório Municipal do PSOL não seguir o "fiel cumprimento" desta determinação aprovada nos fóruns e instâncias superiores do partido, onde o paraense e fiel escudeiro de Edmilson Rodrigues, Luiz Araújo, é o presidente nacional?

Clique na imagem abaixo para ampliar e ler a resolução política aprovada na tarde desta quarta-feira (27), pela executiva municipal do PSOL, em Belém.


Documento interno do PSOL foi enviado ao blog com a decisão municipal recém-aprovada, a qual desobedece a resolução nacional que impede alianças com partidos de direita e alinhados ao golpe do impeachment que o país sofreu.

"DO PT SÓ QUER O VOTO E VOLUNTARIADO"

Segundo fontes juramentas deste blog que estiveram nos bastidores das conversas entre os partidos, a única coisa que Edmilson topa receber do PT são os votos e "cabos eleitorais" voluntários, mas que possam ir pras ruas sem nenhuma exigência. Essa é a definição estratégica para a militância e lideranças populares ligadas ao Partido dos Trabalhadores, que em um passado recente elegeu e reelegeu Edmilson prefeito de Belém.

Sofrendo uma derrota para Zenaldo Coutinho, na disputa pela prefeitura em 2012, Edmilson Rodrigues e seu partido buscaram o apoio formal do PT para a disputa no segundo turno, já que no primeiro turno, a base eleitoral petista que anos atrás flutuava em torno de 20 a 30% do eleitorado, foi cooptada por agentes do PSOL infiltrados e acabou com apenas 3% dos votos válidos, enterrando o sonho petista de eleger Alfredo Costa prefeito da capital paraense.

Mesmo com apoio total e integral do PT, PCdoB, PPL, parte do PSTU e de outros partidos, Edmilson, até então deputado estadual, amargou um duro golpe no segundo turno, pois imaginava piamente - e dizia com convicção - que seria eleito já no primeiro turno das eleições passadas. 

Desprovidos de orgulho e rancores, até Lula e Dilma emprestaram seus nomes e no auge de seus índices de popularidade gravaram inserções e autorizaram o uso de suas imagens nos programas de TV e no material de campanha do PSOL, mas não adiantou: O PSDB o derrotou e elegeu o prefeito de Belém com uma margem favorável de 102,376 mil votos a mais para Zenaldo, ou seja (13,22%) a mais de diferença em cima de Edmilson.

Mesmo surfando na popularidade de Lula e Dilma e o apoio integral do PT, Edmilson perdeu as eleições municipais de 2012, em Belém. Quando vai retribuir, indaga um militante petista.

"Vai ver que agora, Edmilson esteja seguro de que vencerá as eleições sem precisar de muito esforço e aliados com peso histórico, densidade eleitoral e a velha e aguerrida militância petista, ainda confusa pela falta de orientações, debates e pulso por parte da direção do PT em Belém, a qual mais parece querer entregar os pontos, antes mesmo de começar o processo eleitoral", comentou com o blogueiro um petista que pensa em desfiliar-se do PT, mas não agora. "Não com o golpe em curso, pois não sou covarde", conclui pedindo anonimato.

A crítica à direção petista é feita entre 7 de 10 petistas experientes com que o blog tem conversado, mas percebe-se que boa parte destes ainda estão dispostos a lutar pela candidatura de Regina Barata, pré-candidata a prefeita de Belém e que vem aparecendo em 4ª colocada nas pesquisas eleitorais feitas até aqui, superando as pré-candidaturas do PMDB, Rede e PCdoB, sendo que a primeira e a última contam com a visibilidade ofertada pelos veículos de comunicação do sistema RBA de comunicação (TV e rádio) e do jornal Diário do Pará, controlados pela família do senador Jader Barbalho e do ministro Helder Barbalho, que por coincidência também controlam o PMDB no estado.

É isso!

quarta-feira, julho 27, 2016

Sozinho em Belém PT pode abandonar PCdoB e lançar pré-candidato em Ananindeua

Oeiras, Farias e Freitas: Aliados ou adversários no 1º turno das eleições em Ananindeua?


"Política é como nuvem. Você olha e ela esta de um jeito. Olha de novo e ela já mudou".

Magalhães Pinto

Desde o ano passado, diálogos em prol de uma aliança programática se estabelece entre o PCdoB e o PT. Os dois nomes que circulavam nesta atmosfera propositiva era do advogado comunista Jorge Farias e do ambientalista petista José Oeiras, tendo por diversas vezes surgido a hipótese de um vir apoiar o outro. No entanto, a possibilidade da candidatura do jornalista petista Luis Freitas nunca foi descartada por seu grupo, o qual é dirigido pelo senador Paulo Rocha, que agora apresenta a possibilidade de lançá-lo para a disputa, o que inviabiliza aquilo que já vem sendo planejado no seio dos movimentos sociais e dos partidos de esquerda em Ananindeua.

Por Diógenes Brandão

A política é assim mesmo! 

Aquilo que parecia fechado, fechadíssimo, ganha a possibilidade de ter um novo contorno em Ananindeua, um dos municípios onde o PCdoB apresenta candidatura própria para a disputa da prefeitura com inédito apoio do PT. 

Além de Ananindeua, os comunistas paraenses pedem apoio dos petistas em Breves, Monte Alegre, São Geraldo do Araguaia, Marapanim, Inanguapi, Arapanim, entre vários municípios que a aliança é tratada localmente e em Belém, entre as executivas estaduais dos dois partidos.

Há quem diga que na maioria dos municípios onde o PCdoB tenta disputar as eleições com a ajuda do PT, a ideia principal não estaria necessariamente em eleger, já que as dificuldades de arrecadação financeira nestas eleições estão sendo um motivo a mais para a desistência de pequenos partidos, mas sim para fazer com que os comunistas cheguem nas eleições de 2018 com um pouco mais de "moral" diante dos demais, tanto para a disputa para o governo e o parlamento estadual, como para o senado e a câmara federal.

Acontece que nas reuniões em que negociam a política de alianças, os dirigentes estaduais do PCdoB se negam a retribuir o apoio petista e por isso não retiram a pré-candidatura do deputado estadual Lélio Costa, que não conseguiu se desenvolver na preferência do eleitorado, segundo pesquisas eleitorais realizadas em Belém desde o ano passado.

Sozinho em Belém até agora, o PT pede retribuição do apoio ao PCdoB em favor da defensora pública e ex-deputada estadual Regina Barata, pré-candidata do partido para ser a futura prefeita de Belém.

Com a recusa comunista, a aliança PCdoB/PT que vinha se desenhando desde o ano passado, no segundo maior município e colégio eleitoral paraense, pode acabar com o PT lançando candidato próprio e ambos só se reencontrando, caso um dos dois consiga passar, no 2º turno.

Entre os grupos petistas que apresentam nomes cogitados para a disputa eleitoral está o ex-secretário municipal na gestão de Helder Barbalho, Luis Freitas, que já disputou outras duas eleições pelo PT e José Oeiras, fundador do partido em Ananindeua e um dos principais articuladores da aliança com o PCdoB até aqui. Procurados pelo blog, tanto Freitas, quanto Oeiras dizem que não estão totalmente convencidos de que colocarão seus nomes para o pleito, mas não negam que petistas cogitam apresentá-lo, em uma eventual candidatura própria que até alguns dias atrás era dada com descartada.