Pesquise

Carregando...

sexta-feira, março 24, 2017

Lula diz não ao CNB e descarta assumir a presidência do PT

Ex-presidente pretende se dedicar à candidatura ao Planalto. Foto: Michel Filho/Agência O Globo.

Por Sérgio Roxo, em O Globo

Apesar da insistência de integrantes da corrente majoritária do partido, a CNB, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva recusou definitivamente, na noite desta quinta-feira, assumir a presidência do PT, a partir de junho. Com o ex-presidente fora do páreo, a disputa pelo comando da legenda deve ficar polarizada entre o senador Lindbergh Farias (PT-RJ) e um nome da CNB, que discute a indicação do ex-ministro Alexandre Padilha ou do atual tesoureiro Márcio Macedo.

Segundo aliados, Lula, que nesta sexta-feira participará de uma debate em São Paulo promovido pelo PT sobre os efeitos da Lava-Jato para o país, avaliou que deve concentrar esforços na consolidação de sua candidatura para voltar à Presidência da República em 2018. O petista planeja anunciar que vai concorrer novamente ao Planalto em abril.

A indicação de Lula para presidir o PT era vista como uma tentativa de unir o partido e evitar que ocorra uma disputa no momento em que a legenda enfrenta a maior crise de sua história, com risco de saída de quadros. Desde o final do ano passado, ex-presidente vinha hesitando em assumir a missão, apesar dos apelos. Dirigentes de seu instituto trabalharam para demovê-lo da ideia.

Em alguns momentos, Lula chegou a dar sinais de que aceitaria voltar ao comando do partido, posto que ocupou até os anos 1990. No começo do mês, ele se reuniu com o atual presidente da legenda, Rui Falcão, e com três representantes da corrente majoritária CNB para responder que não estava disposto a encarrar a tarefa. Mas diante dos apelos dos presentes, acabou aceitando que fosse feita uma consulta sobre a sua indicação às demais correntes.

Os integrantes do Movimento Muda PT, que reúne quatro correntes de esquerda da legenda, se manifestaram contra, com o argumento de que a prioridade de Lula deve ser a disputa presidencial. A posição do Muda PT contribuiu para a desistência do ex-presidente, que queria uma indicação por unanimidade.

Sem um outro nome de consenso, a CNB seguiu insistindo na tentativa de convencer Lula. Agora, a corrente majoritária vai discutir se o candidato será Márcio Macedo ou Alexandre Padilha. Apoiado pelo Muda PT e pela corrente Novo Rumo, do atual presidente Rui Falcão, Lindbergh manteve a sua campanha pelo Brasil, mesmo com a possibilidade Lula concorrer.

Reunida nesta quinta-feira, a Executiva do PT divulgou resolução em que diz que “permanecem na ordem do dia, cada vez com mais intensidade, a necessidade de denunciar os abusos cometidos pela Operação Lava Jato e sua natureza arbitrária, a solidariedade aos companheiros injustamente presos e a defesa do ex-presidente Lula contra tentativas de afastá-lo arbitrariamente da disputa eleitoral”. Afirma ainda que os militantes e parlamentares devem estar dedicados “para a organização da greve geral contra as reformas trabalhista e previdenciária”, se as centrais sindicais e os movimentos sociais decidirem por esse tipo de mobilização.

quarta-feira, março 22, 2017

15 mil contra a crise sanitária na Região Metropolitana de Belém

Moradores de Marituba, Belém e Ananindeua voltam a protestar contra aterro sanitário.


Manifestantes interditaram trecho da rodovia BR-316 nesta quarta-feira, 22. Comunidade quer fechamento de aterro sanitário no município.

Moradores de Marituba, na região metropolitana de Belém, voltaram a protestar e interditaram um trecho da rodovia BR-316 na manhã desta quarta-feira (22) contra os transtornos decorrentes das atividades do aterro sanitário existente no município, que recebe todo o lixo doméstico de Belém, Ananindeua e Marituba. Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), os manifestantes decidiram liberar a rodovia pouco depois das 10h30 no sentido Ananindeua/Belém, porém, no km 11, a caminhada deles seguiu interditando o sentido Belém/Ananindeua.

No início da manhã, os moradores se reuniram na praça matriz da cidade com faixas e cartazes e saíram em caminhada até a rodovia. Homens da Polícia Militar e da PRF acompanham a manifestação que reúne cerca de mil pessoas. Com a interdição, o tráfego de veículos ficou lento na área.



A principal reclamação dos manifestantes é com relação aos problemas de saúde que o aterro sanitário tem causado. Eles afirmam que o governo havia prometido atendimento médico e o cumprimento de 20 medidas ambientais para solucionar a questão, mas até o momento nenhum prazo foi dado e nem os problemas resolvidos.

Segundo uma manifestante que pediu para não ter o nome divulgado, um caminhão pipa é usado para jogar chorume no igarapé perto do lixão. Outro manifestante informou que o forte odor ainda é uma realidade que adoece a população de Marituba.



No final da manhã do último sábado (18), homens da PM foram ao aterro sanitário de Marituba para dar apoio ao cumprimento da decisão judicial expedida na última sexta-feira (17), em Ananindeua, que obrigava os manifestantes a liberaram o acesso ao aterro sanitário localizado no município. Essa foi a segunda vez que moradores da cidade interditaram a via em protesto, afetando toda a coleta de lixo doméstico e hospitalar produzido na Grande Belém.

Em nota, a Guamá Tratamento de Resíduos, operadora do aterro sanitário, informou que enviou na última terça-feira (21) para a Secretaria Estadual do Meio Ambiente (Semas) o Termo de Compromisso Voluntário apresentando e detalhando tecnicamente os avanços das 20 medidas definidas a partir dos encontros realizados com o órgão, prefeitos, vereadores, Ministério Público, Secretarias Municipais e a comunidade.

A companhia afirma ainda que se comprometeu a implantar monitoramento de odor na sede do município de Marituba e com ponto de referência no município de Ananindeua, considerando a direção e intensidade de ventos da estação meteorológica próxima, com apresentação de relatório mensal. A empresa também encaminhará mensalmente, para a Semas, relatório apresentando as atividades realizadas.

terça-feira, março 21, 2017

Eduardo Guimarães fala ao vivo sobre a condução coercitiva

Sérgio Moro decreta condução coercitiva contra blogueiro que lhe acusa de abuso de autoridade

Eduardo Guimarães é advogado, comunista, blogueiro e amigo de Lula. Motivos para Moro o interrogar?  

Por Diógenes Brandão

Eduardo Guimarães, advogado e autor do blog Cidadania foi mais uma vítima do estado de exceção em que o país atravessa, depois do início da perseguição política da Lava Jato e do lawfare imposto contra Lula e todos que o ex-presidente tenha alguma relação. A ação arbitrária ganhou destaque e grande repercussão na blogosfera e redes sociais, ficando como o segundo assunto mais comentado no Twitter.

Levado para depor através de condução coercitiva, onde a pessoa é obrigada a ir prestar depoimento com forte aparato policial, o blogueiro foi interrogado na sede da PF na Barra, no Rio de Janeiro, para onde foi levado após ser sequestrado, às 06h da manhã, em sua casa. Edu como é chamado por amigos, teve equipamentos eletrônicos confiscados para averiguações, o que segundo Guimarães "viola a minha atividade jornalística".

Ao participar como testemunha de uma vídeo-conferência com o juiz Sérgio Moro, o deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP), perguntou se ele havia determinado a ação desnecessária e incabível, da condução coercitiva do blogueiro à Polícia Federal. Moro respondeu friamente que sim. 

Teixeira então falou que Eduardo Guimarães tem um blog e exerce o papel de informar seus seguidores e como advogado, nada o impede de exercer o jornalismo, tal como garantiu o STF.

Em um vídeo publicado em sua página no Facebook, Eduardo Guimarães lembra já ter representado "muitas vezes a MPF, PF e CNJ contra impérios de mídia, juízes do Supremo, institutos de pesquisa e até contra o juiz Sergio Moro", mas diz que "tais instrumentos não estão sendo suficientes".


Sérgio Moro novamente demostra desprezo com as leis brasileiras e age como se fosse um coronel em plena ditadura militar. Se o juiz não lembra, em 17 de junho de 2009, por 8 votos a 1, os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiram na que o diploma de jornalismo não seria mais obrigatório para exercer a profissão.

Ou seja, não há nada que justifique a tentativa de intimidação e de censura adotada contra o blogueiro.

Moro impõe vazamento seletivo na Lava Jato. Só ele pode

O motivo da condução coercitiva de Eduardo Guimarães foi a investigação promovida pela PF sobre um vazamento de que haveria a prisão de Lula, poucos dias antes da condução coercitiva do ex-presidente, antecipada com exclusividade pelo blogueiro, que efetivamente ocorreu no dia 4 de março de 2016. "Recebi de uma fonte as informações antes, e eles queriam saber se tenho alguma ligação com a pessoa que vazou. Não conheço essa pessoa. Divulguei porque é o meu trabalho jornalístico. Sou blogueiro e o meu trabalho é divulgar", afirmou Guimarães, que também questionou a motivação da condução, já que não teria se recusado a prestar depoimento, publicou o site da Rede Brasil Atual.

Em seu blog O Cafezinho, o jornalista Miguel do Rosário criticou o juiz Sérgio Moro, que posa alegremente ao lado de políticos de empresários e políticos de partidos da direita brasileira: "Não poderia haver nada mais ridículo: sequestro judicial de jornalista que divulgou vazamento de informação!. O Brasil vive um regime de exceção, isso já está mais do que claro. A grande imprensa dá, todos dias, vazamentos sobre a Lava Jato. O juiz Sergio Moro vazou, ilegalmente, gravações íntimas e privadas do presidente Lula e da presidenta Dilma.

Mas eles, mídia e judiciário, protagonistas do golpe, podem cometer qualquer crime, inclusive o pior de todos, que foi avalizar o impeachment sem crime da presidenta Dilma, jogando no lixo mais de 54 milhões de votos".

O portal Fórum noticiou a posição do jornalista Kennedy Alencar que alerta que se o motivo da condução coercitiva for mesmo os vazamentos, a Polícia Federal tem pouca autoridade moral para isso: “Se for devido a vazamentos, investigadores da Lava Jato têm pouca autoridade moral diante da tabelinha que fazem com jornalistas quando desejam. São necessárias justificativas para ações dessa natureza, sob pena de ferimento das liberdades de informação e de expressão”.



Em solidariedade a Eduardo Guimarães, diversas entidades, blogueiros e ativistas digitais marcaram um ato pela liberdade de expressão, que será realizado hoje, às 19h, no Sindicato dos Engenheiros, que fica na Rua Genebra, 25, no Centro de São Paulo. 

segunda-feira, março 20, 2017

Governo trabalha para inserir o Tapajós em mapa turístico nacional

Praia de Alter do Chão é uma das rotas preferidas do turismo no Tapajós, mas tem potencial para crescer muito mais.


A Secretaria de Estado de Turismo (Setur) promove em Santarém, no oeste paraense, programação com o objetivo de inserir no Mapa do Turismo Brasileiro os municípios do Polo Turístico do Tapajós. Diretores da Setur e técnicos do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) apresentam o “Balanço econômico do turismo de Santarém 2016”, quando a cidade atraiu 219.641 turistas, que movimentaram R$ 132,5 milhões. Os técnicos finalizam os trabalhos nesta sexta-feira (17).

Nesta quinta (16), ocorreram mesa redonda e oficina de regionalização do turismo. À noite, o Balanço econômico do turismo de Santarém será apresentado aos membros da Associação Comercial e Empresarial. O Mapa do Turismo Brasileiro, do Ministério do Turismo, orienta o desenvolvimento de políticas públicas para o setor. Ele define a área – o recorte territorial – que deve ser trabalhada prioritariamente pelo ministério.

O mapa é atualizado periodicamente. A última versão conta com 2.175 municípios, divididos em 291 regiões turísticas. O diretor de Políticas da Setur, Ivaldo Silva, explica que a secretaria vai trabalhar a questão da regionalização do turismo e inserir as cidades do Polo Tapajós no Mapa Nacional, para importante para a captação de recursos.

“O Polo Tapajós tem 19 municípios. Todos foram convidados. Esse remapeamento nasceu da determinação do Tribunal de Contas da União, que recomendou ao Ministério do Turismo que criasse regras para destinar recursos aos municípios. Só quem está dentro pode obter recursos e todas as políticas federais voltadas para o turismo. Fizemos a primeira oficina em Belém e agora aqui. O Pará tem seis polos turísticos. Tapajós tem duas sub-regiões, Baixo Amazonas e Tapajós. Estamos fazendo esse trabalho em todo Estado”, explicou Ivaldo Silva.

O objetivo da Setur é inserir o maior número possível de municípios paraenses no mapa do ministério. “O Ministério do Turismo divulga em setembro a lista. Esperamos que todos os municípios estejam dentro. Não precisa ter um atrativo turístico de grandiosidade ou bastante conhecido. Entre os requisitos está a criação de um órgão de gestão de turismo, que não precisa ser uma secretaria. A cidade deve ainda ter direcionamento de recursos no orçamento anual para o turismo, não importa o montante. Por fim, o prefeito deve assinar um termo de adesão”, explica o diretor da Setur.

Nesta sexta-feira (17), haverá reunião técnica com os servidores das secretarias ou departamento municipais de turismo. Serão fornecidas orientações sobre a produção de dados do turismo de pesquisa de demanda turística, produção de dados da hotelaria e sobre emprego no setor, por exemplo. Também haverá a “Oficina de Regionalização do Turismo”. A região do Tapajós é internacionalmente conhecida pelas praias. As cidades da região têm florestas primárias, trilhas, cachoeiras, lagos e monumentos históricos como Fordlândia, construída por Henry Ford, entre outras atrações turísticas.

Encontro – O empresário da Gekos Receptivo, Marcelo Micucci, esteve reunido nesta quinta-feira (16) com o secretário de Turismo, Adenauer Góes, e apresentou números da capacitação de agentes de viagens do Rio de Janeiro para comercialização do destino Pará. Ao todo, foram 140 agentes treinados e 240 atendimentos feitos para venda de pacotes turísticos no Estado. A operadora também estará presente em feiras nacionais e internacionais, levando os produtos turísticos paraenses. O calendário deste ano contempla participação na World Travel Market Latin América, Hiper Feirão Flytour, Abav Expo, entre outras, em Campinas, Rio de Janeiro e Brasília.

O empresário também apresentou as novas ações da operadora de turismo receptivo, como treinamento de agentes, metodologia de formação de fornecedores, foco no mercado de lazer, investimento em marketing digital, campanhas nos hotéis, além de divisões comerciais em Belém e São Luís. Adenauer Góes, ao tratar de novos produtos desenvolvidos pela Setur e que podem ser trabalhados e aproveitados pelo mercado de turismo receptivo, citou dois novos projetos: a Rota de Gastronomia Ribeirinha, na região insular de Belém, e a Rota da Esquina do Peixe, no Tapajós, cujo nome faz alusão ao “Encontro das Águas” dos rios Amazonas e Tapajós. (Com informações da Ascom Setur).

segunda-feira, março 13, 2017

Lista de Janot mete medo em diversos partidos em Brasília


Via Portal ORM.


O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, deverá apresentar amanhã a lista de pedidos de inquéritos com base nas 77 delações da Odebrecht. O assunto foi tema de reportagem da revista semanal “IstoÉ”, divulgada na sexta-feira, 10, no site da revista. De acordo com a publicação, o clima é de tensão entre os políticos em Brasília, em contraste com a tranquilidade que tem apresentado o procurador-geral.

Na última quinta-feira 9, enquanto o meio político aguardava em estado de tensão e pânico a bombástica lista de pedidos de inquéritos com base nas delações dos executivos da empreiteira, Janot almoçava sushi em um restaurante de Brasília, com o terno pendurado na cadeira.

domingo, março 12, 2017

O Liberal especula e erra feio sobre futuro do PT no Pará


Sem nenhuma checagem junto aos citados, notícia plantada em O Liberal é desmentida pela personagem citada.

Por Diógenes Brandão

De forma atabalhoada e sem nenhum critério jornalístico, o jornalista Ronaldo Brasiliense, colunista do jornal O Liberal, usou trechos de uma publicação deste blog, para afirmar sem nenhuma confirmação da mesma, que a secretária geral do PT-PA, Karol Cavalcante "está sendo indicada por várias correntes para disputar a presidência regional do PT".

Em uma afirmação do jornalista, que atua no jornal da família Maiorana, mantenedora do Jornal O Liberal, Karol Cavalcante tem seu nome trocado pelo de "Kátia". Como diz o filósofo Luiz Eduardo Anaice: Tem que haver seleção!

A dirigente petista usou suas redes sociais para esclarecer a falsa notícia:


O erro grosseiro faz parte do manual de jornalismo marrom praticado por Brasiliense, também conhecido por Totó do Orly, descoberto com um dos mensaleiros do PSDB no Pará e recentemente condenado pela justiça por atacar Helder, o principal adversário dos tucanos no Pará e herdeiro da RBA - império midiático que concorre com as ORMs, império que disputa de forma visceral as verbas públicas do Estado e prefeituras paraenses.

A verdade é que Karol vinha sendo indicada por seu grupo interno, a DS - Democracia Socialista, mas Cláudio Puty, tutor da DS, abriu mão de travar a disputa com o antigo campo majoritário do PT, hoje denominado CNB - Construindo um Novo Brasil, que no Pará reúne as tendências de Paulo Rocha (Unidade na Luta); de Beto Faro e Carlos Bordalo (Articulação Socialista) e a de Zé Geraldo e Airton Faleiro (CNP - Construindo um Novo Pará), que indicam João Batista como presidente do PT no Pará. 

Como parte do acordo político, a DS (que nacionalmente faz parte da Mensagem ao Partido, bloco de oposição ao grupo que dirige há quase 4 décadas o PT), abandona a tese do MUDA PT, em troca vai permanecer com suas duas (02) vagas no Diretório Estadual, omitindo-se junto a MS - Militância Socialista, o MPT - Movimento PT e demais tendências minoritárias, de travar o debate sobre os erros, problemas e rumos do partido no Pará, satisfazendo assim o senador Paulo Rocha e o deputado federal Beto Faro, que mantém seus indicados na SUDAM de Temer, e tentam a todo custo evitar análises e autocríticas sobre o fundo do poço em que o PT se encontra.

A única tendência que tem se mostrado coerente com os apelos da militância petista no Pará é a AE - Articulação de Esquerda, que nacionalmente tem como dirigente expoente, Valter Pomar, que se posiciona contrário a manutenção dos atuais dirigentes ligado a outros que estão ou foram presos no decorrer dos últimos anos.

"A nossa prioridade não é debater a presidência nacional do PT, mas sim debater o programa, estratégia, a tática e o modelo de organização do Partido", diz Pomar na última postagem feita em seu blog.

A AE hoje está com chapas inscritas e/ou articuladas em cerca de 80 municípios paraenses e segundo dirigentes contactados pelo blog, vai apresentar uma alternativa para o PT nestas cidades, assim como promover diversos debates com a militância petista da capital e do estado.

SEM COMBINAR COM OS RUSSOS

Acontece que setores que sempre foram ligados aos movimentos sociais e contra as medidas adotadas pela cúpula burocrata do partido, decidiram discutir com a imensa base social do partido, com o objetivo de fazer um debate profundo sobre a conjuntura política do país, do Pará e seus municípios, onde muitas vezes o partido foi praticamente obrigado a fazer alianças insanas para satisfazer a vontade dos parlamentares, que hoje se comportam como verdadeiros donos do partido e insistem em manter acordos e submissão a Jader e partidos fisiológicos, com o interesse único de se manterem no poder, através de seus mandatos e do comando do partido.

Atendendo um anseio de milhares de militantes, a esquerda do PT prepara-se para lançar uma alternativa ao bloco da direita petista, hoje responsável por inúmeras derrotas do partido, como em 2014, quando para eleger o Senador Paulo Rocha, o partido sacrificou metade da bancada federal e ficou com apenas 3 dos 9 deputados estaduais que tinha. Isso sem falar que em 2016, o PT foi o partido que mais perdeu prefeituras no Pará. Ou seja, 18 prefeituras das 23 que tinha e com 05 administra apenas 3% do universo representativo do eleitorado paraense.

PED E CONGRESSO DO PT

Em 9 de abril, será realizado um Processo de Eleições Diretas (PED) municipal que renovará as direções municipais e escolherá os delegados e delegadas estaduais, que serão eleitos através de chapas.

Depois do PED Municipal, haverá o processo de congressos, no qual os delegados e delegadas eleitos escolherão as direções estaduais, a delegação para o Congresso Nacional e a Direção Nacional. De 05 a 07 de Maio acontece simultaneamente os Congresso Estaduais do PT e nos dias 1, 2 e 3 de junho, o 6º Congresso Nacional do PT.

sábado, março 11, 2017

USP diz que PSOL é o único partido de esquerda. PT é centro e PCdoB direita



Realizado em 2016, antes do Impeachment de Dilma, o estudo realizado por um grupo de estudos da Escola Politécnica da USP resultou em um gráfico que demonstra as posições político/ideológicas dos partidos com assento na Câmara Federal. O resultado foi obtido com base em 92 votações.

Entre os resultados destacados pelos pesquisadores ao analisar o gráfico está o fato de "o PSOL se caracterizar como um partido radicalmente diferente de todos os demais" e ocupar espaço diametralmente oposto ao bloco de oposição de direita liderado pelo trio PSDB, DEM e PPS. Dentro do "bloco do governo" o PDT aparece como o partido mais opositor e o trio PCdoB, PSB e PMDB como principais aliados.

Cada partido que aparece na imagem está localizado de acordo com o resultado obtido por sua "análise PCA", que utiliza a comparação mútua entre as votações de todos os partidos. O eixo vertical representa o apoio ou oposição ao governo, o eixo horizontal representa a ideologia, que vai à esquerda ou à direita. Para efeito de comparação, o partido que preside a república (PT) é localizado como referência política.

sexta-feira, março 10, 2017

Cynara Menezes: E se o nordeste quiser ser independente?


Para salvar Temer e Aécio, Moro vai largar a Lava Jato e culpar o Congresso

Depois de combinar com seus parceiros, Moro prepara o fim da Lava Jato. A culpa? Do Congresso.
Juiz Sérgio Moro prepara sua saída de cena e a viagem já programada para os EUA, jogando a culpa pelo fim da operação "Lava Jato", de forma subjetiva, no Congresso Nacional.

Sergio Moro deu uma entrevista ao Valor.

Ele falou sobre os golpes articulados contra a Lava Jato no Congresso Nacional:

“Eu realmente acho que há risco de retrocesso. Fatos como aquela tentativa de anistia”.

A reportagem perguntou:

“O senhor se refere à anistia ao caixa dois ou à tentativa de anistia geral que a Câmara dos Deputados encampou?”

Ele respondeu:

“Se fosse ao caixa dois seria algo menos preocupante. Digo a tentativa de anistia geral. E ainda tem uma incógnita, porque há muitas investigações em andamento. Teremos de ver qual será o destino delas”.

segunda-feira, março 06, 2017

Vote na enquete sobre as eleições na UEPA



O blog As Falas da Pólis realiza enquete sobre o processo eleitoral da Universidade do Estado do Pará e consulta a comunidade universitária a respeito de qual chapa deverá ser eleita nas eleições que tiveram como início da campanhas  com o futuro reitor e vice-reitor daquela instituição.

Para votar, basta clicar na aba superior no lado direito do blog. Cada voto só pode ser realizado uma vez por IP*.

Participe!

*IP significa Internet Protocol e é um número que seu computador (ou roteador) recebe quando se conecta à Internet. É através desse número que seu computador é identificado e pode enviar e receber dados. 

quinta-feira, março 02, 2017

Pesca na Amazônia: Preservar para não acabar



Os acordos comunitários de pesca foi o nome dado a um projeto de lei do ex-deputado federal Miriquinho Batista (PT-PA) e que hoje encontra-se parado na Comissão de Meio Ambiente e Justiça da Câmara Federal, se transformado em lei,  iria regulamentar essa técnica cabocla e empírica de Manejo Comunitário de Pesca, que além da sua principal finalidade de preservação ambiental pela recuperação dos mananciais de pesca e suas espécieis, está também a formação de uma consciência por um extrativismo sustentável.

Precisamos urgentemente valorizar essa metodologia denominado de Acordos de Pesca - Manejo comunitários de pesca. 

Assim como a maioria das armadilhas amazônidas, com a finalidade de captura de pescados, entre elas, algumas predatórias, surgiu do caboclo pescador desta região, a necessidade e o interesse pela manutenção das espécies de peixes em estado de esgotamento, tendo como maior propósito a preservação da vida, com um olhar distante e imaginário na preservação  da continuidade desta atividade milenar que  passa de pai para filhos e assim sobrevive sustentando milhares de familiares destes profissionais denominados de pescadores artesanais.

Nada mais importante neste momento de que se fazer uma reflexão pela necessidade da regulamentação deste modelo de sustentação ambiental, tendo como exemplo este momento da abertura da pesca na Baía  do Tocantins, especificamente nas confluência dos municípios de Limoeiro do Ajuru e Cametá.

segunda-feira, fevereiro 27, 2017

PT: Entre a juventude e os caciques burocratas




Por Diógenes Brandão

Realizada nesta última quinta-feira, a transmissão ao vivo, em uma rede social, recebeu muitos elogios e deu uma demonstração de que o PT está finalmente se encontrando com a atualidade e a dura realidade.

A iniciativa da secretária-geral do PT-PA, Karol Cavalcante, de fazer um live no Facebook para tirar dúvidas dos filiados sobre o Processo de Eleição Direta (PED) - no qual serão eleitos os novos dirigentes do partido, em Abril deste ano, foi muito bem recebida e elogiada por militantes e dirigentes nacionais e municipais.

Karol vem sendo indicada para ser a futura presidente do PT paraense e isso está incomodando setores mais conservadores do partido. Se aceitar o desafio, seu concorrente será o ex-presidente João Batista, indicado pelo senador Paulo Rocha e os deputados Zé Geraldo e Beto Faro, que tentam a todo custo manter o comando petista no Pará. 

Hoje com mais de 70 anos, João Batista tem 40 anos a mais do que a jovem dirigente, que pode ser uma alternativa para tirar o PT da situação em que se encontra, já que a velha burocracia do partido distanciou-se dos movimentos sociais e da juventude e mesmo depois de tudo que aconteceu, submete o partido a um processo que não pensa em outra coisa que não seja a manutenção de alguns mandatos parlamentares e seus interesses individuais.

Estudo e realidade petista no Pará

É da Karol, o estudo inédito realizado pelo partido no Pará, logo depois do resultado das urnas, o qual mostrou a real situação da legenda, que amarga o pior desempenho entre os partidos que mais perderam prefeituras no Estado, nas eleições de 2016. Para se ter uma ideia do estrago causado pelos erros de estratégia política; más gestões; mas, sobretudo, dos ataques que sofreu da mídia e dos partidos adversários, o PT-PA perdeu 17 prefeituras, já que tinha 23 e agora só tem 06, restando a administração de apenas 3% do eleitorado paraense, ao tempo que o PSDB tem 38% e o PMDB 24%, seguidos do DEM com 11% e o PR que ficou com 6%. 

Cacique desmente jornalista e sonha alto

Mesmo como os números desfavoráveis, o cacique petista no estado, senador Paulo Rocha, respondendo a um post do jornalista Carlos Mendes, em seu blog ver-o-fato - o qual lhe acusou de estar ligado ao PMDB por puro oportunismo - ligou para o blogueiro e negou tudo. O senador petista ficou incomodado com a publicação e aproveitou para afirmar que o partido terá candidatura própria em 2018. No entanto, um dirigente petista de Ananindeua, perguntou ao blog: “O partido já reuniu seus filiados para definir democraticamente a estratégia eleitoral, ou o senador “de todos” falou novamente aquilo que veio à sua cabeça, sem consultar a militância, tal como reza o estatuto e a história petista?”. 

Deputado Beto Faro e Senador Paulo Rocha investem alto para manter o controle do PT e seus indicados no governo Temer.

O blog prometeu publicar a pergunta e manter a fonte preservada, tal como foi pedido. O blog AS FALAS DA PÓLIS lembrou ao petista que já noticiou a estranha manutenção de diversos petistas em cargos de DASs, os quais foram indicados pelo senador Paulo Rocha e o deputado federal Beto Faro para a SUDAM, desde os governos Lula/Dilma, e que mesmo depois do impeachment, continuam ocupando diretorias e cargos de confiança, com a benção de Jader, Helder e Temer, chamado de “golpista” por 10 entre 10 petistas.

domingo, fevereiro 26, 2017

Carnavalesco se irrita e dá bronca em jornalista “globeleza”

Chico e Monalisa ficaram sem saber o que dizer após a reação do carnavalesco.

Por Diógenes Brandão

Faltando apenas duas escolas se apresentarem para o fim do desfile das escolas de samba de São Paulo, uma grande confusão levou mais de uma hora para ser resolvida. Sentindo-se prejudicado pela pista molhada no desfile da Vai-vai, após a escola ter jogado água do alto de um carro alegórico, Mantega, presidente da Nenê de Vila Matilde, não permitiu que sua escola entrasse na avenida do samba, antes da LIGA enxugá-la e deixá-la em plenas condições de receber os brincantes.

Ocorre que ao ser provocado por uma repórter que repassou de forma insistente a pergunta da jornalista Monalisa Ferrone, que apresentou o carnaval Globeleza ao lado do jornalista Chico Pinheiro, do alto do estúdio da Globo, na dispersão do sambódromo, o presidente da Nenê de Vila Matilde "pagou o sapo" e mandou Monalisa descer do estúdio da Rede Globo para ir ver como a pista estava escorregadia. 

O “climão” deixou todos de saia justa, enquanto os repórteres de chão se esforçavam para buscar informações sobre quanto tempo demoraria para o reinício do desfile da escola, que calou a boca de um time inteiro de jornalistas globais.

O desfile então seguiu sob o amanhecer de um novo dia e nos mostrou que quem sabe faz ao vivo e não permite que a toda poderosa mídia se meta no trabalho alheio.

Assista o vídeo.




DOXA aprofundará suas análises sobre as eleições de 2016 e 2018



Por Diógenes Brandão

Ao ler alguns comentários sobre a entrevista do cientista político da DOXA pesquisas, Dornélio Silva, publicada no jornal O Liberal deste domingo de carnaval, a percepção é de que a publicação que ganhou quase uma página inteira no jornal, agitou as redes sociais ao trazer uma análise sensata e imparcial sobre as eleições de 2016 e suas considerações sobre o a disputa para 2018.

Diferente de outros colegas, que se arvoram em sair em defesa deste ou daquele pré-candidato ao governo do Estado, Dornélio demostra o que o diferencia dos demais colegas, ao dar como resposta aos que reclamam dos seus resultados sempre certeiros: “Os grupos políticos e empresarias deveriam corrigir rumos, aperfeiçoar estratégias e metodologias de trabalho, ao invés de reclamarem dos resultados obtidos nas ruas, quando estes lhes são desfavoráveis”.

Sentindo a necessidade de aprofundar os temas abordados, principalmente no que concerne o fato de ter sido bastante criticado por ser o único pesquisador que vem acertando os últimos resultados eleitorais, o blog entrevistará Dornélio ainda essa semana. Aguardem!

Jornais paraenses encalham nas bancas



Sucessivas edições dos dois jornalões paraenses, Diário do Pará e O Liberal, encalham nas bancas de revistas e pontos de vendas espalhados por Belém. Nem o tablóide Amazônia, "filho" caçula das ORMs, que mesmo sendo vendido a preço de bombom, consegue esgotar suas vendas. Em Abril, o "Amazoninha", como é chamado pelos jornalistas que lá trabalham, completa 17 anos de existência e não terá muito a comemorar.

Mesmo reduzindo o número de impressos, os barões da mídia paraoara, assistem dia após dia, grande parte das suas edições serem devolvidas para as empresas das famílias Maiorana e Barbalho. 

Em compensação, as versões digitais ampliam seus acessos paulatinamente. 

O jornal Diário do Pará criou sua versão online, deixando todas as edições liberadas para os internautas, enquanto o concorrente ainda cobra assinatura para que os leitores tenham acesso ao seu conteúdo na web.

sábado, fevereiro 25, 2017

DOXA em O Liberal: Disputa de 2018 começou, mas ainda está indefinida

Dornélio Silva, da DOXA, tem tido seguidos acertos. Foto: Arquivo do blog.

Em O Liberal

Eleições

Dornélio Silva, da DOXA, fala dos fatores que poderão influenciar no voto

Cientista Político da DOXA Pesquisas, com mais de 25 anos de experiência e nome consolidado no mercado, Dornélio Silva afirmou em entrevista a O Liberal, que as eleições de 2018 já começaram e diferente do que se comenta nos bastidores, não há ninguém com vitória garantida. Instituto de pesquisa que mais se aproximou do resultado das últimas eleições do Pará (2014 e 2016), a empresa tem sido convidada para traçar Planejamentos Estratégicos e para isso foi criada a DOXA Inteligência, setor que reúne uma equipe de profissionais especialistas em processos de organização e marketing eleitoral, inclusive o webmarketing, ou marketing de relacionamento. Ao comentar o recente encontro entre Zenaldo e Helder, Dornélio alerta que o eleitor pode não receber muito bem a aliança que foi ventilada após o inusitado encontro entre adversários que travam disputas viscerais.

  • Segundo pesquisas da DOXA, o candidato a prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho (PSDB), dois meses antes das eleições tinha a maior taxa de rejeição e tinha em média apenas 6% da preferência do eleitorado da capital paraense, mas acabou eleito no segundo turno. Como você avalia esse fenômeno?

Havia três competidores fortes, Zenaldo, Edmilson e Eder Mauro. Eder Mauro vinha liderando as pesquisas de intenção de voto, pois em 2014 foi eleito como o deputado federal mais votado do Pará, com 265.983 votos.

Em estudos feitos pela DOXA, descobrimos que mais de 40% dos votos de Eder Mauro vinham de Zenaldo, que a dois meses das eleições apresentava baixa intenção de voto e carregava alta rejeição. Eder Mauro disputava o mesmo eleitorado de Zenaldo. Eder isolou-se, perdendo força e confiança. Ao iniciar a campanha eleitoral gratuita no rádio e na TV, estes votos de Eder começaram a migrar de volta para Zenaldo.

Então, diria que o fator Eder Mauro e uma comunicação bem feita foram os principais ingredientes que levaram Zenaldo à vitória. Mas, devemos lembrar que Edmilson Rodrigues teve um mal desempenho nos debates e diversos erros na sua estratégia de marketing eleitoral.

Sem entrar em muito detalhe, posso lembrar rapidamente do “salário razoável”, em contraste com o voto de pobreza que o candidato do PSOL tanto exaltava.

  • Pelas mídias sociais, muito se comentou sobre o apoio do PMDB e do PT ao candidato do PSOL. Até que ponto você avalia o impacto dessas notícias virais, na tomada de decisão do eleitor?

O PSOL no segundo turno, quis, digamos, esconder o apoio do Jader Barbalho e do seu partido. Edmilson chegou a dizer que tinha o apoio do professor Maneschy, mas não do PMDB. Tal comportamento era explicado pela noção que o PSOL reconhecia a forte rejeição do PMDB e de seus líderes na região metropolitana de Belém. Além disso, a propaganda tucana reforçou a lembrança de que Maneschy era o candidato do Jader Barbalho. 

Edmilson, por sua vez, aceitou a entrada de Maneschy no segundo turno achando que este não estava maculado ao PMDB. Ledo engano! Maneschy foi percebido como o velho vestido de novo. Resultado: a rejeição da família  Barbalho caiu no colo de Edmilson. 

  • Em 2014, a DOXA foi a única empresa que apontou para a vitória de Simão Jatene e acertou. Em 2016, novamente acertou no diagnóstico da vitória de Zenaldo Coutinho. Essas duas “lacradas”, incomodaram certos setores da política e da comunicação do estado?

Atuamos com pesquisas eleitorais e de mercado há mais de 25 anos, sendo pioneiros neste segmento empresarial. Não quero menosprezar meus concorrentes, mas junto com minha equipe prezamos pela cientificidade, pela seriedade e responsabilidade com os estudos que desenvolvemos. Atentando-se sempre a veracidade dos dados que a população aponta em nossas pesquisas de campo, mesmo que o resultado destas checagens sejam amargos e contrariem interesses deste ou daquele grupo, nós não abrimos mão de retratar a realidade.

É a partir do diagnóstico que extraímos das nossas pesquisas e apresentamos para a sociedade, que ao meu ver, os grupos políticos e empresarias deveriam corrigir rumos, aperfeiçoar estratégias e metodologias de trabalho, ao invés de reclamarem dos resultados obtidos nas ruas, quando estes lhes são desfavoráveis. 

Percebendo a carência de uma empresa que ajude os nossos clientes para além da pesquisa, criamos a DOXA Inteligência, a qual atua na consultoria a partidos e candidatos interessados em unir informações, ao planejamento estratégico e o marketing político.

  • Qual o cenário que já se vislumbra para 2018?

Diferente de outras eleições, considero que a disputa para o pleito de 2018 já começou com dois anos de antecedência. Com o 2º mandato do governador Simão Jatene (PSDB), a disputa interna em seu partido e na sua base aliada cresce e tende a promover uma série de rupturas e reordenamento de interesses entre lideranças tucanas e aliados.

Helder Barbalho é sem dúvida o candidato natural do PMDB, para a disputa que hoje segue polarizada com o PSDB, mas que pode ter um ou dois outros fortes competidores. 

O deputado estadual Márcio Miranda (DEM) teve seu nome fortalecido com a terceira eleição consecutiva como presidente da ALEPA e não pode ser subestimado, já que seu partido saiu destas eleições de 2016, como a 3ª maior força política do Pará, quando elegeu 15 prefeitos e 111 vereadores.

Manoel Pioneiro (PSDB) vem tendo seu nome ventilado por blogs e nas redes socais, mas percebo até então que ele não esteja consolidado como candidato natural à sucessão de Simão Jatene, afinal há outros tucanos interessados pela vaga que o governador deixará e terá papel fundamental na escolha do candidato do seu partido. 

Até outro dia, um dos maiores e mais poderosos partidos do estado e do país, o PT cogita lançar o senador Paulo Rocha para a disputa da vaga ao governo, mas a situação de sua legenda não é nada favorável e sua tímida liderança torna sua pré-candidatura pouco promissora.

Entre a atual base de sustenção do governador, ouve-se pelos bastidores de que o vice-governador Zequinha Marinho (PSC), estaria sendo apresentado por seus correligionários para a vaga de Jatene, assim como Sidney Rosa (PSB) teria sido indicado pela executiva nacional do seu partido para ser candidato ao governo. Ambos são nomes que podem surpreender, caso caminhem com passos ousados e estratégicos.

Há também rumores de que o atual secretário de Jatene, Adnan Demachki, estaria sendo preparado para a sucessão do governador. No entanto, até aqui tirando Helder Barbalho, podemos afirmar que os demais ainda configuram-se como especulações, o que faz parte do jogo político e de interesses partidários, regionais e econômicos. 

Uma das coisas que devem ser consideradas neste processo é o fato de que teremos mais duas outras vagas para o senado, o que também torna muitos dos pré-candidatos ao governo, também interessados por uma dessas vagas.

Prova disso foi o encontro recente entre o prefeito Zenaldo Coutinho e o ministro Helder Barbalho, o que acabou trazendo especulações de uma possível aliança para as eleições de 2018. Caso isso aconteça, infiro que uma terceira via pode ser muito bem recebida por grande parte dos eleitores que estranharão a unidade entre partidos que até aqui travam uma guerra de acusações e nutrem um antagonismo visceral nos processos eleitorais que disputaram nas últimas décadas.